Quotation of the Day

Prefácio: What's up, doc???

Cada dia que passa, aprender a língua inglesa tornar-se importante. Seja por questões de trabalho, de estudos ou pela própria onda de globalização, a verdade é que a língua inglesa ganha importância como uma língua franca, o latim do tempos contemporâneos. E como o estudante de Letras/Inglês se enquandra dentro deste novo mundo??? Com a velocidade e o volume cada vez mais crescente de informações, a sala de aula em se já não basta apenas local de aquisição de informações. Acompanhar as tendências que ajudem na sua formação implica hoje usar outros espaços e momentos. Para isso que surge este blog, como outro local onde os alunos de Letras/Inglês da UNEB (Campus 01) possam dividir e debater opiniões acerca dos temas do nosso curso.

abril 13, 2012

julho 02, 2009

Watch out! The English Enthusiast strikes again!

Hi everyone


Take a look at my newly created blog. The link is:


http://englishlanguageenthusiast.blogspot.com/


See you there...

dezembro 22, 2008

Merry X-mas

Merry christmas for all
Feliz Natal para todos

Ricardo Vidal

outubro 01, 2008

Technology as a Tool of Education: Between the Techno-Utopia and Technorealism

Technology as a Tool of Education: Between the Techno-Utopia and Technorealism

The Technology needs to be used inside the classroom. In principle, nobody will deny this idea because it is logical and historically coherent. If the evolution of technology was important part in the construction of Humanity’s history, it is the natural that a Human Being uses the technology as part of educational process. But, when someone advances in the question and starts to think about advantages and disadvantages about a broad use of the technology, the debate between techno-utopians and technophobes shows as this point needs more reflection.

By the technophobe perspective, the use of technology has more disadvantages than advantages because the technology (especially electronics-based) is a kind of Pandora’s Box or Mephistopheles and the people must be careful. But, this critical viewpoint has a problem when it is confronted with the technologies means.

The fast development of machines and hardware in the last two decades creates a mistake in the common sense: all discussions about technology involve only computer and internet. The cause of this “confusion” is the fast and fantastic development of informatics and telecommunication had in these years. However, it can not lose track is the fact of technology go beyond the computer. It includes since the complex machines (as a space shuttle) until simple tool (as a tomahawk) or techniques. This notion is more clear when translates the nuclear word τέχνη / techne, that means “Craft” or “Art”. So, “Writing” and “Alphabet” are technologies too, despite the old age… They highlight a curious point: All educational process is derived of a technology – the technique of codify ideas using an organized set of letters – alphabet and/or writting. So, how is it possible only seeing disadvantages in the use of technology in the Education, according technophobes? It is oxymora!

Well, looking by this aspect, there is an invitation to be a techno-utopian and only the advantages of a massive use the technology in the classroom (especially the internet and computer): Increase the students’ motivation, provide real-time information, reach many kinds of learning forms (audiovisual, kinesthetic, etc) and teach the students how select information and change him in knowledge. All is true when the technologies are a TOOL of learning. The problem is when the technology loses this position and turns into the GOAL of learning. According David Shenk: “The art of teaching cannot be replicated by computers, the Net, (…). These tools can, of course, augment an already high-quality educational experience. But to rely on them as any sort of panacea would be a costly mistake.”

Thus, the conclusion is technology has a broad definition which involves simple tools and complex machines. So, the discussion is not only seeing if only use of technology has advantages or disadvantages; however, it is how the technology is used, if the technology is used as a tool or as a goal.

Bibliography

ELLUL, Jacques. “A técnica e o desafio do século”. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 1968.

SHENK, David. “Principles of technorealism”. Acessado em em 01º de outubro de 2008, às 07h27.

setembro 29, 2008

Mais alguém????

Cristiano, muito bom os seus blogs. Mais alguèm quer comentá-los???

Visitem meus blogs, ok?

Olá companheiros unebianos


Irei atualizar os meus dois blogs todos os dias.
Portanto, quando estiverem on-line, não esqueçam de visitar os endereços:

http://www.goodchappie.blogspot.com/
http://www.pensamentoalado08.blogspot.com/


Abraço

Cristiano Lombardi

setembro 21, 2008

Uso de blogs no ensino da língua Inglesa

USO DE BLOGS NO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA
(slides do trabalho de Ricardo Vidal sobre blog, apresentado na disciplina "Tec. Aplicada ao Ensino")

Definição de Blog
•Etimologia: WEB+LOG. Web = teia (no caso, WWW, teia de alcance global) e LOG (diário de bordo, registro de vôo, registro de desempenho). Mais tarde, reduzido para BLOG, por conta da expressão “We Blog”.
•Um weblog (ou blog) é uma página da World Wide Web, cuja estrutura permite a atualização rápida a partir de acréscimos de tamanho variável (chamados "posts”).
•Os “posts” são organizados cronologicamente de forma inversa, costumam abordar a temática do blog, e podem ser escritos por um número variável de pessoas, de acordo com a política do blog.
•Os sistemas de criação e edição de blogs são mais atrativos por causa das facilidades que oferecem (dispensa o conhecimento de HTML).

Diferenças Blog/HTML
website padrão.

1.Webdesigner concebe o conteúdo da página
2.Trabalha no editor de website
3.Transferência do(s) arquivo(s) para servidor de hospedagem via FTP (File Transfer Protocol)
4.Página a disposição na World Wide Web
OBS: Necessita conhecimentos básicos de HTML (HiperText Markup Language). Melhor se dominar também JAVA, animações em Flash, etc
blog.
1. Webdesigner concebe o conteúdo da página
2.Trabalha no blogware, telefone celular ou próprio portal do Blog
3.Transferência imediata na World Wide Web
OBS 01: Elimina a etapa do uso do programa de FTP.
OBS 02: Dispensa os conhecimentos básicos de HTML (Hiper Text Markup Language), JAVA, Flash, etc

Componentes de Blog
•BLOGUEIRO: Autor(es)/Proprietário(s) do blog.
•POST: Entrada de texto efetuado no blog e escrito pelo blogueiro.
•COMENTÁRIOS: Parte interativa do blog, onde os visitantes comentam, opinam, critiquem e mandam sugestões ao blog.
•PERMALINK:é um URL que aponta para uma postagem específica de um blog. O intuito dele é permitir que se chegue diretamente ao post desejado quando se faz referência a alguma postagem ou a um conteúdo específico, tornando imediato o acesso ao conteúdo referenciado.
•EXTRAS: demais acessórios (Applets Java, Animações em Flash, enquetes, etc) colocados a mais no blog.

Blog, segundo Ricardo Noblat
Entrevista de Ricardo Noblat à Playboy, (outubro/2005)
" Essa coisa é uma coisa fascinamente. O blog não é só o dono. É uma comunidade que se monta, se arma, se reúne e ajuda, os comentários que essas pessoas põem, as dicas que me enviam."

Evolução do Blog
•PRIMÓRDIOS 1983-1994. “Online Diary” e “Escribicionists”. Época das BBS, Usenet, Gopher Protocol e Finger Protocol (Pré-HTTP).
•1994. Primeiros blogs modernos. “Open-pages webring”, Justin Hall, Jerry Pournelle. Posts colocados manualmente via HTML.
•1997. Jorn Barger (criador do “Robot Wisdon” / www.robotwisdon.com ) cunha o termo “Weblog”. Aplicado inicialmente para tipo de página de links.
•1998. aparecimento do primeiro software para blog (blogware) “Open Diary” em outubro.
•SALTO QUALITATIVO 1999. 01) Peter Merholz transforma “Weblog” em “Blog” quando colocara expressão “We BLOG” no barra de título de sua página “http://peterme.com” (Abril/Maio). 02) Surge de outros blogwares: “LiveJournal” (Março) e “Blogger” (Agosto). 03) Aparecimento do termo “Blogosfera”, inicialmente como piada.
•2001. As faculdades de jornalismo (inclusive a UFBA, com Prof. Dr. André Lemos) começam as primeiras pesquisas sobre Blogs e Blogosfera. Surgimento dos primeiros blogs políticos e jornalísticos no mundo.
•2002. O termo “Blogosfera” ressurge, dentro do conceito moderno de comunidade.
•2005. Blog do Noblat ganha notoriedade pela cobertura da crise do Mensalão.
•2006. Primeira eleição do Brasil influenciada pelos weblogs. A blogosfera brasileira ajuda na reeleição de Lula, fazendo a guerrilha de contra-informação à “grande mídia”.

Blogosfera
Blogosfera é o termo coletivo que compreende todos os blogs como uma comunidade ou rede social. Muitos blogs estão densamente interconectados; blogueiros lêem os blogs uns dos outros, criam links para os mesmos, referem-se a eles na sua própria escrita, e postam comentários nos blogs uns dos outros. Por causa disso, os blogs interconectados criaram sua própria cultura.
Outros termos: "Blogtopia", "Bloguespaço", "Bloguiverso", "Blogsilvânia" e "Bloguistão".
Semelhança com as expressões “Logosfera” (mundo das palavras) e “Noosfera” (Mundo das Idéias)
O termo "blogosfera" pode ser qualificado. Pode-se falar da "blogosfera lusófona", da "blogosfera de esquerda“, “Bloggernacle”(Mórmon), “J-blogosfera” (judaica), “St. Blog’s Parich” (católica), “Edublogosfera” etc.
“Blógobulo” / “Bloguesia” – críticas à Blogosfera

Tipos de Blog
•DERIVADOS DO BLOG: “FLOG / FOTOLOG” – Blog de fotos, “AUDIOBLOG” – Blog de áudio , “VLOG / VIDEOLOG” – Blog de vídeos, “MOBLOG” Blog alimentado por telefone celular, BLOGCAST – Blog + Podcast, “BLIKI / BLOKI / WIKIBLOG” – Blog + Wiki.
•DIÁRIO ON-LINE / CYBERDIÁRIO / BLOG PESSOAL: “Bruna Surfisitinha”, “Sutiã 44”, “Pelas Tabelas”, “Carol Castro” e “Joana Balaguer” (dois últimos, no Bloglog)
•BLOG JORNALÍSTICO: “Blog do Noblat” & “Sexpedia – Flávia Colavitti”
•BLOG HUMORÍSTICO: “Kibeloco” & “Atrocidades / Nizo Neto”
•BLOG CORPORATIVO: (Sexpedia, inicialmente, como parte da revista Galileu)
•BLOG POLÍTICO: “Hemodiálise do Discurso” – Carlos Eduardo Oliveira
•BLOG LITERÁRIO: “Castelo do Bardo Celta” (www.bardocelta.blogspot.com) , “Silva Horrida – Guia de Cidade”, “Andréia del Fuego” & “Ângelo Paraíso Martins”
•BLOG EDUCATIVO OU EDUBLOG : “Unebian_Blog” & “English Teaching” – Profa. Isolda Lisboa.

Edublogs
EDUBLOG ou BLOG EDUCATIVO é todo tipo de blog cujo interesse é voltado à educação. Podem incluir nesta categoria: blogs escrito por ou para professores, blogs sobre política educacional ou blogs cujo propósito seja passar o conteúdo na sala de aula.

Blog na Sala de Aula
•CONSULTA DE TEXTOS AUTÊNTICOS: Da mesma forma que um professor usaria um site “normal” para que os alunos sejam expostos a língua inglesa, o professor usaria um blog.
•APOSTILA ELETRÔNICA: O professor edita sozinho o blog com os assuntos que serão dados nas aulas. Os alunos podem acompanhar seja durante da aula, seja no período extra-classe. A interação com os alunos ficam limitada ao setor “comentários”.
•MURAL-COMUNIDADE: Professor e alunos são co-editores do blog da disciplina. O blog serve como extensão da sala de aula, em que os alunos comentam sobre a aula, tiram dúvidas, colocam notícias... Serve como “diário da disciplina”.
•BLOG – AVALIAÇÃO 01: Os alunos se cadastravam no blog da disciplina. Regulamente o professor passa como atividade para algum tipo de questão que será escrita via Blog. Exemplo da Disciplina “Comunicação e Informática” na FACOM-UFBA em 2001, com prof. Dr. André Lemos.
•BLOG – AVALIAÇÃO 02: Learning Log Digital (para turmas pequenas). No início da unidade, o professor pedem que os alunos criem um blog em que eles farão uma resenha das aulas. O professor daria os prazos e acompanharia os blogs.
•BLOG – AVALIAÇÃO 03: Blog-Seminário. Os alunos criariam em equipe um blog (segundo as especificações do professor) com o tema da pesquisa. Mas tarde apresentariam os resultados para a turma num seminário. Exemplo de alguns blogs organizados pelos alunos do COESVA (Colégio Estadual de Valença).
Alguns motivos para o uso do Blog na sala de aula
•A “web” é uma ótima ferramenta para compartilhar conhecimento.
•Escrever sobre algo, implica em reflexão e crítica, o que é fundamental no processo de ensino-aprendizagem.
•Desenvolver a habilidade de gerenciar informação.
•Desenvolver a habilidade de transformar informação em conhecimento.
•Evitar o retrabalho docente. Uma vez publicado você só precisa aperfeiçoar!!!
•Desenvolver o espírito de colaboração(aprender a conviver) ]

Frequently Asked Questions
•BLOG É COMPLICADOS E OS ALUNOS NÃO ESTÃO PREPARADOS. Se o professor não estiver seguro, pergunte antes para a turma se eles conhecem o que é um blog. Não espante, contudo, se os alunos disserem que sim e citarem que mantém blogs pessoais!! Depois, a tecnologia do blog é simples: é só um meio mais rápido de editar uma pagina na WEB e prescinde dos conhecimentos básicos de HTML
•COMO OS ALUNOS PODERAM ACESSAR O BLOG? O blog, no fundo, é uma página da internet. Sendo assim, eles podem acessar através de um navegador / Broswer
•ONDE OS ALUNOS DA REDE PÚBLICA PODEM EDITAR O BLOG? Se não puderem acessar em casa ou na escola, eles podem usar os serviços de uma LAN-House. Também podem usar o telefone celular para mandar os posts. Vamos ser francos, é mais fácil os professores da rede pública de ensino desconhecerem as potencialidades da internet dos que esta geração mais nova, que hoje estão nos bancos da sala de aula. Eles não podem ter o acesso a tecnologia de ponta, mas alguma eles já conhecem e põem em prática.

Invited, at last...

That's all, folks...so far

setembro 17, 2008

Sobre o E-board - comentários

(já que estmaos numa aula de tecnologia, aproveitemo-la!!!!)

Os colegas que não puderam ver o "e-board" na Cultura Inglesa perderam!!! Mas falo isso não como deboche ou querendo "mangar" dos colegas. Sei que a maioria dos colegas que não foram tiveram motivos mais do plausíveis para não ir. Só que aula foi mesmo interessante!!! Por isso que deixo aqui este rápido comentário/resumo da aula.

O aparelho é composto de uma tela (uma espécie de monitor), um projetor colocado no teto, um computador conectato à tela e uma "caneta eletrônica". Apesar do computador possui o mouse e teclado, o professor usa mais caneta eletrônica, que pode servir tanto de mouse (para acessar figuras ou passar os slides da aula) como serve para desenhar e escrever na tela.

A aula foi ministrada pelas profas. Adelaide e Isolda. Profa. Adelaide apresentou a tecnologia através da metalinguagem: ao mesmo tempo que mostrava as possibilidades de usos do e-board, ela mostrava também como se "desenha" cada aula e levantava reflexões sobre estas aulas. Foram msotradas 09 possbilidades de uso: Exposição através figuras, exposição através textos simples, exposição através de textos e feeback (exposição em hipertexto/slides de power-point), exposição através vídeo, aula interativa como acesso a internet (e.g. Quiz), aula interativa Animações, Aula interativa com Games e aula interativa no qual o e-board é usado como uma apostila virtual.

Dentre algumas reflexões/observações que vale a pena destacar da aula, temos: 01) Quanto à evolução tecnológica do ensino, pode-se perceber três fases: Uma fase em que a informação é presentada de forma estática (lousa, giz, retroprojetor, projetos de slides fotográficos) - que foi vivida até quase 15 anos atrás; uma fase eletrônica, mais "internética", em que a informação é apresentada de forma dinâmica e hipertextual (como o datashow, o e-board e de certa forma, com o videocassete) e uma fase futura, em que o e-board servria paar transformação do conhecimento, onde os alunos produziriam material apara suas aulas. 02) A aula pode ser dinâmica e atraente, através da multimídia. Com a possibilidade de acrescentar vídeo e som e textos e gráficos que podem se mover, o professor pode atrair mais a atenção do aluno. 03) A aula pode ser mais participativa, com os alunos intervindo mais, apresentando suas idéias com mais freqüência. O momento que um aluno pode está no e-board resolvendo uma quetãos, aos seus colegas tende a opiniar com mais frequência. 04) Comunicação natural entre os alunos. Isto ficou claro quando profa. Adelaide passou uma atividade com um texto escrito "tradicional" e a mesma tarefa usando o e-board. Enquanto na primeira vez os alunos conversavam em dupla mas olhando na xérox, na segudna vez, com o e-board, os aluno conversavam olhando nos olhos um do outro. Parece incrível mas foi verdade!!!!!!!!!!!!!!! Creio que Marshal McLuhsan veria nisso a implosão da Galáxia linear de Gutemberg e o Big-Bang de uma nova racionalidade audio-visual e rizomática...

Claro que isso não esgotou todas as possibilidade de usos do e-board. No caso, vai dependertanto da criatividade do professor em preparar sua aula e no interesse dele em explorar os recursos do equipamento. Se o professor for um 'technofob', if she/he avoids technology, por exemplo - não haverá milagre que permite fazer uma grande aula. Contudo, se a pessoa quiser, será uma espécie de "Bat-professor", aquele super-herói sem super-poderes mas com várias gadgets, o às de debaixo da manga.

Outros dosi aspectos interessantes da aula é que o professor, tendo o software, pode planejar sua aula na sua própria casa - da mesma forma, por exemplo, que ele/a faria uma apresentação de power-point ou uma apostila. Não precisaria está na escola para preparar a aula usando o e-board. Também a aula pode ser gravada e enviada como um arquivo comum, via e-mail. Ou seja, se algum aluno não puder assistir uma aula, este poderia vê-la mais tarde, na sua casa, através do computador. (Espero que profa. Ade nos envie ESTA aula por e-mail).

Creio que muitos dos aluno sairam da aula com vontade de ter o brinquedinho em casa ou poder colocar debaixo dos braços e usar nas aulas. E realmente, para quem é criativo ou queria fazer uma aula realmente profissional e explorar ao máximo as capacidades dos alunos, o e-board realmente dá todas estas possibilidades. Reuni todos as outras tecnologias passadas (lousa de ardósia, giz, video-cassate, projetor de slides fotógraficos, aparelho de som e data-show) num único aparelho. Se o professor qusier, ele pode ser um super-herói...

No mais, só ficou faltando fotos da aula... Quem sabe na próxima...

setembro 16, 2008

Just to remember our dear teacher Sílvia

Self-esteem, good reason to
Imagine ways of helping you;
Leaving my worries, the
Vanity, the bad and the blue
Imaginations! Noticing that you
Are really good, I am sure.

Attractiveness lives in your body for a
Long period of time;
Victim of your beauty I’ve been;
End of all sadness in my life…
Serene, when I see you I get serene.

Delight Yourself,
Endless Beauty!

Sooner or later we’ll see
Our dreams come true;
Universal psychology will
Show us that you
And I will renew us, we’ll renew.
Amil Lima, 21.12.2006

DESPEDIDA

Grandes alegrias certamente
Os que a amam compartilham;
Ricos nos fizeste e, positivamente,
Eis que teus méritos sempre brilham;
Temos teu carinho na lembrança,
Teu sorriso meigo de criança,
Indo no caminho que teus passos trilham.

Esta poesia, bem, eis que a fiz no dia,
No dia em que minh'alma se contorcia,
E se esvaía, fria, ciente que agora ficaria
E permaneceria, sem você, um tanto mais vazia.

Hans Gunther (Amil Lima) Edison Lima

Chamado à reflexão...

PCNs – Ficção ou realidade?


Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) formam um conjunto de recomendações sobre o ensino público do Brasil. Mas, considerando o panorama educacional do nosso país nos últimos anos, cabe a pergunta: os PCNs têm por base a ficção ou a realidade?

Enquanto as instruções permanecem no papel, tudo parece muito perfeito. Considere a seguinte citação pertencente ao documento “Língua Estrangeira Moderna”, dos PCNs +, Ensino Médio:


Não há hoje como conceber um indivíduo que, ao término do ensino médio, prosseguindo ou não sua formação acadêmica, seja incapaz de fazer uso da língua estrangeira em situações da vida contemporânea, nas quais se exige a aquisição de informações.


Com certeza o inglês não é a língua-mãe dos brasileiros. Todavia, este fato não justifica o nível insuficiente dos alunos de escolas públicas em relação à língua estrangeira. Esta é a grande prova do quão fantasioso é o texto presente nos PCNs. A realidade é outra. Bem diferente.

Indo mais além, surge outro questionamento: por que os PCNs não são prioridade em alguns cursos para formação de professores? (vide o curso de Letras, Língua Inglesa & Literaturas da UNEB) Será uma ratificação da ineficácia dos Parâmetros? Ou ainda a descrença em uma educação de qualidade?

As dúvidas já estão lançadas. Que as respostas surjam e transformem o conto de fadas (chamado PCN) em realidade.


Questões Adicionais:


Você concorda com o texto acima? Sim ou não? (por favor, justifique)

Quais são as soluções para o problema da aplicação dos PCNs ao sistema educacional do Brasil?

Por qual razão os PCNs não são discutidos mais abertamente nos cursos para formação de professores?

Você considera os PCNs fundamentais na formação de professores?


Bibliografia


MORAES, Liani. PCN + Ensino Médio – Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Linguagens, códigos e suas tecnologias.

Disponível em <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/linguagens02.pdf> P.93-137.

Acessado em: 16 set. 2008

setembro 10, 2008

English Absinthe

May, 31th. 2005 (02h12 PM)
[Salvador, 25 de fevereiro de 2002]




Your scent, green emerald rich
Is the invitation to orgy.
Your fascinant lips oof hot breath
Are the fire of the gods,
Are the fatal game of the lust and pleasure,
Are the silence where
The devilish fetish of souls
That burn minds and eyes:
Ilusions weaving a sweet and tragic poetry,
Magic poetry of the green star absinthe…

Schedule - disciplina Tecnologia Aplicada ao Esino

(usando o lado Doktor Jekyll)

September, 17th:
próxima aula, na Cultura Inglesa (Rua Mato Grosso, esquina com rua Ceará, na Pituba) Uso do "I-BOARD". Favor todos comparecerem. Oportunidade única de conhecerem esta nova tecnologia para educação

September, 24th:
Presentations. Ous eja, temos duas semanas para sentarmos com nossas duplas e fazemos nossa aprresenção de Slides no Power Point. Só para lembrar: cada dupla terá APENAS 15 minutos e o arquivo não pode haver mais de 10 slides. Uma das notas da disciplina. OU seja, nada de faltas.

October, 01st:
Entraga do ensaio "vantagens e desvantagens do uso da tecnologia na sala de aula". Ensaio em Inglês (of course) com cerca de 300 palavras. Outra nota da disciplina. Nada de faltas.

October, 08th:
Entrega dos resultados finais.

****************************************

Em suma, só temos quatro aulas antes de terminarmos nosso curso...

Leituras Sugeridas

  • Antoine Compangon - O Demônio da Teoria / Literatura e senso comum
  • Silviano Santiago - Nas Malhas da Letra
  • Tania Franco Carvalhal - Literatura Comparada (série Princípios)
  • Angélica Soares - Gêneros Literários (série Princípios)
  • Ligia Chiappini Moraes Leite - O Foco Narrativo (série Princípios)
  • Nádia Battella Gotlib - Teoria do Conto (série Princípios)
  • Edwin Gentzler - Contemporary Translation Theories
  • Ferdinand de Saussure - Curso de Lingüística Geral
  • Renata Pallottini - Introdução à Dramaturgia (série Princípios)
  • Merchè Pujol Berché, Luci Nussbaum e Miquel Llobera - Adquisición de Lenguas Extranjeras: Perspectivas Actuales en Europa
  • Michael McCarthy - Discourse Analysis for Language Teachers